Buscar
  • antonio andrade

A Importância da Fisioterapia Respiratória 

Atualizado: 20 de Jan de 2020

A fisioterapia é uma ciência da Saúde que estuda, previne e trata os distúrbios cinéticos funcionais intercorrentes em órgãos e sistemas do corpo humano, gerados por alterações genéticas, por traumas e por doenças adquiridas. Fundamenta suas ações em mecanismos terapêuticos próprios, sistematizados pelos estudos da Biologia, das ciências morfológicas, das ciências fisiológicas, das patologias, da bioquímica, da biofísica, da biomecânica, da cinesia, da sinergia funcional, e da cinesia patologia de órgãos e sistemas do corpo humano e as disciplinas comportamentais e sociais.

Dentre as especialidades da fisioterapia reconhecida pelo Coffito, temos a Fisioterapia Respiratoria, inicialmente designada como Fisioterapia Pneumo Funcional estabelecido na Resolução nº. 188, de 9 de dezembro de 1998, sendo alterada a nomecratura para Fisioterapia Respiratória pela Resolução nº. 318, de 30 de agosto de 2006. Considerando que o termo Fisioterapia Respiratória é, e sempre foi, baseado em evidências científicas no Brasil e no mundo, conforme se pode observar nas publicações científicas e acadêmicas produzidas para a área de conhecimento.

A Fisioterapia Respiratória é uma especialidade da fisioterapia, de acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso

de Graduação em Fisioterapia, no artigo 5°, a fisioterapia é capaz de realizar consultas, avaliações e reavaliações do paciente colhendo dados, solicitando, executando e interpretando exames propedêuticos e complementares que permitam elaborar um diagnóstico cinético-funcional, para eleger e quantificar as intervenções e condutas fisioterapêuticas apropriadas, objetivando tratar as disfunções no campo da Fisioterapia, em toda sua extensão e complexidade, estabelecendo prognóstico, reavaliando condutas e decidindo pela alta fisioterapêutica e elaborar criticamente o diagnóstico cinético funcional e a intervenção

fisioterapêutica, considerando o amplo espectro de questões clínicas, científicas, filosóficas, éticas, políticas, sociais e culturais implicadas na atuação profissional do fisioterapeuta, sendo

capaz de intervir nas diversas áreas onde sua atuação profissional seja necessária.

Neste amplo aspecto de atuação da fisioterapia, a Fisioterapia Respiratoria é disciplinada pela Resolução Coffito n °400, de 03 de agosto de 2011, nesta resolução para o exercício da Especialidade Profissional de Fisioterapia Respiratória é necessário o domínio das seguintes Grandes Áreas de Competência: I – Realizar consulta fisioterapêutica, anamnese, solicitar e realizar interconsulta e encaminhamento; II – Realizar avaliação física e cinesiofuncional do sistema cardiorrespiratório e neuro-musculo-esquelético; III – Realizar avaliação e monitorização da via aérea natural e artificial; IV – Solicitar, aplicar e interpretar escalas, questionários e testes funcionais; V – Solicitar, realizar e interpretar exames complementares como espirometria e outras provas de função pulmonar, eletromiografia de superfície, entre outros; VI – Determinar diagnóstico e prognóstico fisioterapêutico; VII – Planejar e executar medidas de prevenção, redução de risco e descondicionamento cardiorrespiratório; VIII – Prescrever e executar terapêutica cardiorrespiratória e neuro-musculo-esquelética; IX – Prescrever, confeccionar e gerenciar órteses, próteses e tecnologia assistiva; X – Aplicar métodos, técnicas e recursos de expansão pulmonar, remoção de secreção, fortalecimento muscular, recondicionamento cardiorrespiratório e suporte ventilatório; XI – Utilizar recursos de ação isolada ou concomitante de agente cinésio mecanoterapêutico, termoterapêutico, crioterapêutico, hidroterapêutico, fototerapêutico, eletroterapêutico, sonidoterapêutico, entre outros; XII – Aplicar medidas de controle de infecção hospitalar; XIII – Realizar posicionamento no leito, sedestação, ortostatismo, deambulação, além de planejar e executar estratégias de adaptação, readaptação, orientação e capacitação dos clientes/pacientes/usuários, visando a maior funcionalidade e autonomia; XIV – Monitorar os parâmetros cardiorrespiratórios; XV – Gerenciar a ventilação espontânea, invasiva e não invasiva; XVI – Manter a funcionalidade e gerenciamento da via aérea natural e artificial; XVII – Realizar a titulação da oxigenoterapia e inaloterapia; XVIII – Determinar as condições de alta fisioterapêutica; XIX – Prescrever a alta fisioterapêutica; XX – Registrar em prontuário consulta, avaliação, diagnóstico, prognóstico, tratamento, evolução, interconsulta, intercorrências e alta fisioterapêutica; XXI – Emitir laudos, pareceres, relatórios e atestados fisioterapêuticos; XXII – Realizar atividades de educação em todos os níveis de atenção à saúde, e na prevenção de riscos ambientais e ocupacionais.

Observamos que a especialidade é complexa, sua atuação pode ocorrer nos ambienes:

I – Hospitalar; II – Ambulatorial (clínicas, consultórios, centros de saúde); III – Domiciliar e Home Care; IV – Públicos; V – Filantrópicos; VI – Militares; VII – Privados; VIII – Terceiro Setor.

Além disso, agindo com ações de prevenção, promoção, proteção, educação, intervenção, recuperação e reabilitação. Muitas vezes sendo apenas identificada, pelo usuário de saúde, a ação de reabilitação da Fisioterapia Respiratória. Devemos mudar este pensamento, educando os profissionais de saúde e os usuários, sobre a importância da atuação em todos os níveis de atenção à saúde e em todas as fases do desenvolvimento ontogênico.

Os profissionais de saúde, os Fisioterapeutas e os usuário/clientes/pacientes entendem que a prevenção deve ser o foco principal, contudo já estando presente a alteração cinético funcional, devemos atuar para atingir a melhor resposta possível do tratamento.

Dentre os diversos pacientes que se beneficiam da Fisioterapia Respiratória destacamos os portadores de Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC), que apresentam sintomas como a dispneia (percepção subjetiva da falta de ar), dificultando a realização de suas atividades de vida diária ou profissional. Nestes pacientes a Fisioterapia Respiratória vai identificar as alterações cinético funcionais e atuar para recuperar e melhorar a qualidade de vida, não se reduzindo a técnicas desobstrutivas ou padrões ventilatórios, podendo se utilizar da Reabilitacao Pulmonar, do treinamento muscular respiratório e da educação para melhorar todos os sintomas.

Apresento aqui apenas um dos pacientes que se beneficiaram desta especialidade da fisioterapia, mas não se resume a estes casos, para saber quem se beneficiária da Fisioterapia Respiratória acompanhe este blog

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Fale com a gente (21) 99545-8906

  • LinkedIn ícone social
  • Instagram

© 2016 por Fisioterapia Especializada Dr. Antônio Andrade. Criado orgulhosamente com Wix.com